Nobres ganhadores do Nobel

E eis que eu finalmente vim falar de literatura pra vocês. Como o Caio já falou no começo da semana, o nosso país da vez tem 11 línguas oficiais, o que significa uma literatura rhyca e variada (e a gente se batendo com um único português nesse meu Brasil, inclusive TCC, mas vamos continuar falando de coisas boas, não é mesmo?).

Por hoje, te apresento os trabalhos e um pouquinho da história de Nadine Gordimer e J.M. Coetzee, os dois sul africanos ganhadores do Nobel de Literatura.

giphy (1)

Nadine Gordimer: Ganhadora do Nobel de 1991, Gordimer foi descrita como “uma mulher que, através de suas magníficas e épicas palavras, é um grande benefício à humanidade” (NOBEL, Alfred). Filha de pais judeus, foi através deles que ela desenvolveu sua consciência política, o que talvez explique seu trabalho, que apesar de fictício, é geralmente voltado às questões raciais ou relacionado ao apartheid.

gordimer_postcard

O primeiro livro de Gordimer, The Lying Day’s (e eu não achei versão em português), de 1953, foi escrito quando a autora ainda estava na casa dos vinte aninhos, e há quem diga que ele tem um quê de autobiográfico, uma vez que conta a história de uma garota branca moradora de um subúrbio sul-africano. E, na verdade, esse não é o único título da autora que tem essa pegada autobiográfica.

O seu último livro, Get a Life/De Volta à Vida, de 2005, foi  escrito logo após o falecimento de seu segundo marido. Ele conta a história de Paul, um ecologista branco e jovem que trabalha, juntamente com um grupo étnico diversificado, pra preservar áreas tribais. O personagem, assim como o marido de Gordimer, é repentinamente surpreendido por um câncer. (Mais informações, em inglês, aqui).

Pouco depois da publicação desse último livro, a autora se envolveu em uma ~briga~ com o autor R. S. Roberts, com quem trabalhava junto em sua biografia. Aparentemente, eles não concordaram em como contar certos aspectos da vida da autora, em especial um love-affair que ela teria tido e alguns aspectos de sua infância, que comprovariam que suas obras não eram tãão autobiografais assim. Atualmente, Gordimer é uma vovózinha fofa de 90 anos. Não consegui achar informações se ela ainda tá na ativa, mas encontrei essa foto dela, em uma feira do livro, de 2010.

Nadine Gordimer: uma vovó com conteúdo!

Nadine Gordimer: uma vovó com conteúdo!

John Maxwell Coetzee: O vencedor do Nobel de Literatura de 2003 é filho de um advogado e de uma professora e descende de imigrantes holandeses. Ele trabalhou na Africa do Sul e nos EUA como professor de Literatura Inglesa e, em 2002, se mudou para a Austrália (s2), onde atualmente é professor honorário do departamento de língua inglesa da Universidade de Adelaide.

175009-j-m-coetzee

Assim como Gordimer, o nosso segundo bam-bam-bam da literatura sul-africana trabalha com as chamadas ‘autobiografias ficcionais’. Entre elas, a trilogia Cenas da Vida na Província, composta pelas obras Infância (1997), Juventude (2002) e Verão (2009). Os dois primeiros relatam, respectivamente, a infância confinada em livros e a crise de um jovem que tá prestes a se formar em matemática, mas que sonha em ser poeta. O terceiro, porém, se passa majoritariamente no fim dos anos 1970 e conta a história de John, um autor falecido, a partir da perspectiva de cinco entrevistados, compiladas por um biógrafo.

Outra obra do titio aí que chamou bastante minha atenção durante a pesquisa foi A Infância de Jesus, que é também o mais recente trabalho dele, publicado em 2013. O nome já é bastante chamativo por si só, mas conta, na verdade, a história de dois estrangeiros, que ficam desmemoriados ao migrarem a um país desconhecido, tendo assim a chance de construir uma nova história.

E esse foi o primeiro Pra Ler da África do Sul, bem cheio de história, engajamento e autobiografias vestidas de ficção. Espero que tenhas curtido e corras pra livraria mais próxima, até porque o Natal tá na porta – já fica a dica de presente, hein! Qualquer outra dica, é só comentar aqui ou nas nossas redes sociais. Até a próxima semana!

giphy (2)

Anúncios

4 pensamentos sobre “Nobres ganhadores do Nobel

  1. Pingback: Diferentes modos de ser e crer | O Bagageiro

  2. Pingback: Athol Fugard: prazer em conhecê-lo | O Bagageiro

Qual tua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s